Este post é um desabafo. Uma carta com algumas coisas que gostava de dizer a mim própria com 18 anos. Gostava de as dizer não com o intuito de me impedir de cometer os erros que cometi, mas para que estivesse, de certa forma, preparada e alerta para todas as mudanças, voltas e reviravoltas que a vida deu desde os 18 anos até agora, que estou com 26. Uma carta que pode ser encarada como um: miúda, não fiques triste porque o mundo não vai acabar e tu vais conseguir ultrapassar tudo!

 

 

Olá Miúda,

Dezoito aninhos! Bela festa com montes de gente han! Quanto a essa festa só te posso pedir que aproveites. Aproveita mesmo cada segundo. Um dia (e não daqui a muito tempo) vais perceber o por quê de te estar a dizer isto… E vais dar-me toda a razão do mundo e agradecer-me. Ou agradecer-te, já que eu sou tu e tu és eu, mas eu tenho 26 anos e tu tens 18. Achas que já estás muito adulta porque já atingiste a maioridade e no fim do verão vais sair de casa dos papás né? Mas olha: és um bebé. Nem imaginas as voltas que a tua vida vai dar. Agora é que tudo está a começar. Prepara-te.

Prepara-te para as mudanças. Não entres em stress porque não vais conseguir lidar com muitas delas logo à primeira.

Tens 18 anos e não sabes lidar com a morte, nem com as desilusões, por isso é importante que tenhas sempre presente a ideia de que A COMIDA NÃO TE VAI TRAZER QUEM PERDESTE DE VOLTA. Mas não adianta ser a eu – mesmo que eu seja tu oito anos depois – a dizer-te isto. Tens de ser tu a meter isto na cabeça. Até interiorizares esta ideia vais bater no fundo. Vais chorar muito. Vais deixar de gostar de ti. Vais achar-te feia; vão haver dias em que te vais achar inútil e que não és capaz de nada (incluindo cuidar de ti).

Agora, com dezoito anos, adoras tirar fotografias. Passas muito tempo a idealizá-las e tens o quarto cheio daquelas que são as mais bonitas. És vaidosa e ainda vais continuar a ser durante algum tempo, mas vai haver um dia em que vais rasgar todas as fotografias, por serem o símbolo daquilo que já não és e que achas que não vais voltar a ser. Mas sabes que mais?  Vais voltar a adorar ver-te em fotografias. Vais estar sempre a chatear o teu namorado para ele te tirar aquela fotografia. Sim! O teu namorado! Vai ser o amor da tua vida e vai ter a maior paciência do mundo para aturar as tuas neuras e inseguranças.

Mas vou contar-te um segredo: vai haver um dia em que vais bater com a mão na mesa e vais dizer basta! Vais fartar-te de não gostar de ti, de teres até vergonha de sair à rua, de não teres roupa de que gostes e com a qual te sintas bem.

Ainda vais chorar muito (prepara os lencinhos miúda), mas vai haver um dia em que vais renascer, em que vais lembrar-te que tu és e serás SEMPRE a pessoa que mais importa no teu mundo.

Vais conhecer novos alimentos, provar muita coisa nova e… o mais surpreendente de tudo… vais gostar de cozinhar! A sério! E não é massa com natas e afins… é comida de verdade. Coisas boas! Vais adorar e todos os dias vais aprender um pouco mais.

Outra coisa: Esquece os outros, a sério. Não te importes se estão a olhar ou se vão comentar se fizeres isto ou disseres aquilo. Quando tiveres 26 anos vais conseguir desligar-te um pouco mais do que te rodeia e não interessa nada. Não vais fazer fretes e não há mal nenhum nisso.

Tu não és feita de ferro mas porra, vais conseguir ultrapassar muita coisa e pode ser que daqui a muitos anos (quando tiveres bem mais do que 26 anos) consigas rir de muitas das voltas que a tua vida deu!!

 

 

P.S. Se te der vontade de cortar o cabelo curtinho corta. Não tenhas medo de dizer adeus aos teus caracóis. Não esperes pelos 25 anos para mudar isso. Já há coisas suficientes que têm de esperar…

 

 

Share: