Hoje escrevo-vos acerca de algo um pouco diferente mas que contribui tanto para que me sinta bem comigo como optar por uma salada em vez de uma feijoada (que eu adoro!). Pessoas tóxicas e a importância de as mantermos longe de nós!

Acho que sempre fui muito selectiva com as pessoas que tenho à minha volta (pelo menos com as que posso escolher…). Às vezes isso pode ser confundido com antipatia ou arrogância, mas a verdade é que não consigo mesmo estar rodeadas de pessoas que tentam puxar tudo e todos para baixo. Se sei que num determinado sítio vou estar rodeada de pessoas que me transmitem coisas negativas porque é que me vou sujeitar a isso? Se puder escolher evito. Gosto de me rodear de pessoas que me querem bem.

 

E, às vezes, não querer mal já é, de alguma forma, querer bem.

 

Claro que nem toda a gente vai gostar de mim (como é óbvio) eu também não gosto de toda a gente, mas algumas pessoas nem delas próprias gostam. E é aí que está o maior problema. São, no fundo, pessoas vítimas delas próprias. Vítimas do seu próprio pessimismo e negativismo. E, diga-se de uma forma bastante directa: ninguém é obrigado a levar com isto!

 

Acho que são pessoas que têm muitas coisas mal resolvidas consigo próprias. A única forma pela qual sabem exteriorizar isso é sendo negativas, pessimistas e descontentes com tudo o que a vida lhes dá. Como li algures há uns tempos, são pessoas que têm um problema para cada solução. O pior de tudo é o esforço incessante que estas pessoas fazem para transportar todas estas coisas más para a vida das outras pessoas.

Toda a gente conhece alguém com estas características. Basta ter alguma sensibilidade e ser um pouco observador e começamos a detectar (várias) pessoas à nossa volta que agem, muitas vezes, desta forma.

No entanto, por mais escudos à prova de pessoas tóxicas que tenhamos, nem sempre temos a opção de as manter longe e há dias em que estamos mais vulneráveis e sensíveis ao que nos rodeia. Cabe-nos a nós permitir, ou não, que as pessoas tóxicas influenciem ou se intrometam nas nossas vidas.

O melhor é mesmo manter essas pessoas longe. Ignorar. Manter por perto quem nos quer bem (de verdade!). Estar rodeados de pessoas boas. E claro, manter longe tudo o que é fofocas e confusões. Quando é que as pessoas vão perceber que há coisas que não acrescentam nada às suas vidas?!

 

Share: