mudar de vida: ser saudável e feliz

Sobre os dias difíceis e como lidar com a culpa

Já o tinha dito anteriormente: nem tudo é um mar de rosas. Por vezes parece que tudo é perfeito e fácil. Vou acabar com as vossas ilusões: não é.

Há dias em que acordo bem disposta, motivada e acho que vai correr tudo bem. Mas não corre. Ou fico ansiosa ou stressada com alguma coisa ou fico simplesmente com uma vontade descontrolada de comer qualquer coisa (nunca é qualquer coisa, é sempre uma coisa muito específica). E faço asneiras (já tinha dito: o chocolate é o meu problema). Depois, para além de ficar enjoada porque já não estou habituada a comer certas coisas (ou em grandes quantidades), fico a sentir-me culpada por estar a falhar com o meu plano alimentar. E comigo (principalmente comigo!).

O importante nestes dias é que não me martirize e fique a massacrar por ter errado. Não adianta ficar a sentir-me a pessoa mais fraca do mundo.

Depois, tenho duas opções: (1) ou continuo a achar-me incapaz de alcançar os meus objectivos e, por isso, continuo a comer (perdida por cem, perdida por mil) ou (2) perdoo-me  e tento remediar a situação (por exemplo: comer algo mais leve nas refeições seguintes).

Às vezes é difícil optar pela segunda hipótese, mas tento ter sempre em mente que não quero voltar a ser a pessoa que era antes. Portanto só há uma solução: aprender com o meu erro e tentar que este não se volte a repetir.

 

 

 



2 thoughts on “Sobre os dias difíceis e como lidar com a culpa”

  • Por isso é que incluo na dieta o dia da asneira. Assim sei que tenho aquele dia para abusar e comer as porcarias que quiser com a certeza de que só estou a fazer mal a mim mesma. E não é que tem corrido bem? Que tenho abusado pouco e que ganhei mais respeito por mim? Este dia serve para provar que toda a luta tem valido a pena e que aquelas coisas não me faziam falta nenhuma.

    É óbvio que nem sempre conseguimos alcançar objcetivos e que isso nos desanima, mas a capacidade de saberes que já dominas o teu corpo é brutal!

    • Eu não sei muito bem aquilo que penso acerca do dia da asneira. Por um lado compreendo e também faço essas asneiras, mas por outro sinto que é retroceder naquilo que estou a conquistar nos outros dias (por exemplo, a minha perdição é o chocolate, se estou uma semana inteira sem ingerir açúcares, quando no dia da asneira vou comer uma “porcaria”, há um retrocesso no processo de desintoxicação do açúcar…). Talvez ainda não tenha conseguido atingir esse “domínio” do meu corpo… ou do cérebro, Porque se devorar um chocolate fico super enjoada

Deixar uma resposta


%d bloggers like this: