mudar de vida: ser saudável e feliz

“Fico triste por ter feito tanto mal a mim mesma”: a história do meu peso

Feitas as apresentações e uma vez que já sabes o propósito do Bem me quero, acho que é importante começar pelo início: como é que eu cheguei ao ponto de evitar todos os espelhos?

Sou ansiosa desde que me conheço. Por consequência, na altura do secundário passava o dia inteiro sem comer. Fazia, talvez, uma ou duas refeições por dia (hoje faço 7!). Como podes calcular, isso não é nada saudável.

Aos 18 anos (2009) saí de casa dos meus pais para ir estudar. É uma mudança radical, especialmente quando sais de um meio pequeno para ir para uma cidade como Lisboa. Passados dois dias de sair de casa a minha avó faleceu. Foi um choque, sofri muito. Nos primeiros tempos não conseguia comer. Passei de “só” ansiosa para ansiosa e muito triste. Entretanto engordei, não sei precisar quanto, mas a memória que tenho é de não gostar de me ver com vestidos de alças, durante o verão. Emagreci outra vez, mas não fiz nada para que isso acontecesse.

O Verão de 2011 foi a minha desgraça (literalmente!). Sentia-me bem comigo e queria aproveitar as férias. Não tinha cuidado nenhum. Era capaz de comer uma bola de berlim, um gelado e um pacote de bolachas de chocolate durante um dia de praia (quantos dias é que será que fui à praia durante esse verão?!).

Desde aí, passei a comer sem restrições. O facto de nessa altura viver sozinha e não gostar de cozinhar também contribuiu para que o peso fosse aumentando.

Na verdade, não há forma de ser mais directa: eu engordei porque comia todos os dias coisas que não fazem bem a ninguém. Fast food, refeições congeladas que transbordam gordura, chocolates, bolachas de chocolate, leite com chocolate (assumo: o chocolate é o meu calcanhar de Aquiles!).

Não me mexia. Passava muito tempo sentada, por causa dos estudos. O resultado não podia ser outro não é?

De uma forma resumida, o que aconteceu foi isto:

oscilacaopeso

Hoje tenho consciência disto. Há pouco mais de um ano não tinha. Fico triste por ter feito tanto mal a mim mesma.

Em breve falarei do dia em que começou o resto da minha vida e do choque que foi perceber que já não era gordinha, já não tinha uns quilinhos a mais. Eu era obesa.

dica

assinatura



4 thoughts on ““Fico triste por ter feito tanto mal a mim mesma”: a história do meu peso”

  • Foi exatamente o mesmo comigo. A perda de peso começou no dia em que percebi que o único motivo pela qual andava infeliz era o não gostar de mim. Uma coisa tão simples, que só dependia de mim. O que é que eu diz? Mudei! -20kg, mas para isto continuar a correr bem, tive de fazer o processo inverso e perceber porque é que tinha engordado (ao contrário de ti eu tinha uma alimentação saudável, mas não bebia água e fazia 2 refeições) e agora é “só” não repetir esses erros. Mas sou tão feliz agora que era incapaz de me colocar novamente nessa infelicidade. Força e se precisares de trocas de receitas avisa 😂

    • Obrigada pelo teu comentário, Rute! E parabéns pelos teus resultados 🙂
      Tal como vou explicar num post futuro, eu pensei que se atingisse um determinado peso tinha de fazer alguma coisa. Sabia perfeitamente que depois de chegar aquele número, a coisa só ia piorar. Há muito tempo que eu sabia que queria mudar, mas não tinha coragem, sentia-me incapaz de algo como perder 25 ou 30kg. Basicamente preferia não tentar. Era mais “fácil” do que lidar com o fracasso. Depois há o dia D, em que ganhas coragem e pisas a balança. Choras. Revoltas-te. E prometes a ti mesma que queres voltar a gostar de ti e ser feliz. O caminho faz-se caminhando. Um dia de cada vez. 🙂

Deixar uma resposta